Cadastre-se

16/06
Aprenda a escolher o gramado ideal para o seu jardim

Ao contrário do que se pode imaginar, nem tudo são flores quando o assunto é jardinagem. Tão importante quanto os temperos, hortaliças e outros vegetais, o gramado enriquece o jardim e qualquer cantinho verde, ajudando a destacar a exuberância de todas as plantas cultivadas. Por isso, saber escolhê-lo corretamente é fundamental. Afinal, existem diversos tipos no mercado, indicados apenas para determinados ambientes.

“A incidência de luz solar é o primeiro item a ser analisado, pois há espécies que não toleram sombra e tendem a minguar após o plantio”, ressalta Paulo Cezar Heib, paisagista e projetista de jardins, autor do blog “Flores e Plantas”.

Também vale a pena ficar atento ao nível de pisoteio a que o gramado estará exposto, assim como à possibilidade de manutenção de cada espécie e às condições do solo. “Antes de plantar, deve-se observar se há desníveis no local para evitar problemas no futuro. O ideal é trabalhar com o solo meio seco que facilita o trabalho e dá melhor acabamento”, indica.


Tipos de grama

No Brasil, as espécies de gramíneas mais aproveitadas no paisagismo são as do tipo esmeralda (Zoysia japonica), são carlos (Axonopus compressus) e santo agostinho (Stenotaphrum secundatum).

A primeira é a mais popular, especialmente para aplicação em áreas residenciais. Com folhas estreitas que conferem uma aparência delicada ao gramado, ela possui forte enraizamento e um preço bem mais em conta em relação a outras variedades.

“De grande efeito ornamental, a esmeralda apresenta também um baixo índice de infestação de plantas daninhas, facilidade de plantio e baixa manutenção”, ressalta Paulo. Versátil, a espécie pode ser aproveitada em jardins residenciais, áreas industriais, casas de campo e praia, playground e campos esportivos em geral.

Exemplo de gramados que conseguem se adaptar bem a áreas pouco ensolaradas, a grama do tipo são carlos conta com folhas largas, lisas e sem pelos. Famosa, a variedade é indicada para áreas semi-sombreadas (entenda-se semi-sombreadas como luz solar menos intensa, e não sombra total), tem crescimento lento e forma um campo denso de coloração verde intenso. É ideal para jardins residenciais e áreas industriais.

Já em áreas litorâneas, a espécie que melhor se adapta ao ambiente é a santo agostinho, que também se desenvolve em locais semi-sombreados. De cor verde-escura, ela é bastante rústica e resistente a pragas e doenças. “Para playgrounds, campos de futebol, polo, tênis e outros esportes praticados sobre o grama, a espécie bermudas é a mais indicada. Ela conta com folhas estreitas, grande poder de recuperação e crescimento rápido. Além disso, é bastante macia e resistente ao pisoteio”, resume Paulo.

Posts Relacionados