Cadastre-se

15/10
Belas e exóticas: conheça as principais espécies de plantas carnívoras e descubra como cultivá-las

Donas de uma beleza singular, as plantas carnívoras, ao contrário do que se pode imaginar, não oferecem nenhum risco aos seres humanos e seus animais domésticos, são fáceis de cultivar e ótimas opções para projetos de paisagismo.

Caracterizadas pela incrível habilidade de capturar insetos por meio de armadilhas compostas por folhas modificadas, as mais de 600 variedades espalhadas por todo o mundo precisam, em sua maioria, de cuidados simples para se desenvolverem. “Todas as variedades podem ser cultivadas em casa, desde que sejam expostas ao sol direto ou a bastante claridade”, informa Laudio Martins Simões, responsável pela Carnívora Shopping, loja especializada neste tipo de planta.

No Brasil, entre os gêneros mais cultivados estão as Droseras (que possuem folhas cobertas por pelos que produzem uma substância pegajosa capaz de deixar a presa grudada e sem condição de defesa), Sarracenias (reconhecidas por suas folhas em forma de jarras afuniladas e com uma espécie de tampa em cima), Nepenthes (caracterizadas por folhas em formato de jarra) e Dionéias (formadas por plantas de pequeno porte que respondem a estímulos mecânicos para a captura da presa).

“As Nepenthes podem receber sol, mas em horários mais brandos, como início da manhã ou final da tarde. Já as Dionéias, Droseras e Sarracenias, são apreciadoras de sol direto”, conta o especialista.

Como cultivar?
Longe de causar dores de cabeça para quem deseja tê-las em casa, as carnívoras, em geral, podem ser plantadas em substrato úmido, feito a partir da mistura de musgo sphagnum com areia de construção ou fibra de coco, em vasos ou recipientes pequenos. Apesar disso, elas precisam receber regas diárias, feitas preferencialmente com água isenta de cloro, para manterem-se saudáveis. “A maioria das espécies são acostumadas com solo encharcado. Por isso, a umidade é fundamental”, ressalta Laudio.

Outra dica interessante é não brincar com as carnívoras, tocando em suas armadilhas. Isso porque toda vez que a planta é tocada, seja com o dedo ou qualquer objeto, ela tende a se fechar, gastando energia. “Se essa brincadeira for contínua, o desperdício energético pode enfraquecê-la, tornando-a mais lenta e ineficiente na hora de capturar algum inseto”, explica.

Nutrição
Apesar de as plantas carnívoras só serem insetívoras porque, na natureza, o solo onde vivem é pobre em nutrientes, elas podem ser adubadas com Dona Flor Folhagens a cada 14 dias. O produto não irá prejudicá-las e ainda garantirá um maior enraizamento da planta, além de um verde mais intenso às suas folhas.

Posts Relacionados