Cadastre-se

16/09
Salsa e cebolinha podem ser cultivadas em casa e sem crise

Utilizado para realçar o sabor dos alimentos, o cheiro-verde é um dos temperos que mais faz sucesso na horta – e na cozinha – de quem busca dar um toque especial a cada receita. Famosa nos quatro cantos do País, a especiaria tem como grande diferencial a mistura certeira de duas outras grandes espécies: a salsinha e cebolinha.

Aromáticas e versáteis, elas são cultivadas dentro (próximas às janelas) e fora de casa e devem receber a aplicação de Dona Flor Ervas e Temperos a cada quinze dias para que tenha maior enraizamento e produtividade, além de folhas mais verdes e vistosas.

Salsinha
De origem europeia, a salsinha pode ser plantada tanto em canteiros como em vasos ou jardineiras. Para o seu pleno desenvolvimento, é fundamental que tenha boas condições de luminosidade (recomenda-se, no mínimo, quatro horas diárias de exposição ao sol) e proteção contra os ventos que ressecam suas folhas. Além disso, vale a pena fazer regas três vezes por semana e manter o solo úmido.

Na hora da colheita, o segredo é cortar o galho e não apenas as folhas, deixando-o a um ou dois dedos de distância do solo. Quando bem cuidada, a especiaria que é rica em vitaminas e minerais rebrota diversas vezes no ano.

Cebolinha
Famosa por suas folhas que formam uma espécie de tubo, a cebolinha se desenvolve muito bem em solos drenados e bem nutridos. Resistente, ela pode ser cultivada em canteiros ou vasos, mas precisa ter contato direto com a luminosidade para se desenvolver plenamente. Por isso, o local no qual ela será plantada deve receber luz solar durante, pelo menos, um período do dia.

Como faz parte do time de espécies que gostam de bastante umidade, vale a pena regá-la três vezes por semana e mantê-la protegida contra pragas e doenças, devido à sua suscetibilidade ao ataque de pulgões.

Posts Relacionados