Cadastre-se

16/07
Confira sete erros mais cometidos pelos jardineiros de primeira viagem

Ter um belo jardim, repleto de plantas com folhas vistosas e flores coloridas e perfumadas, é o desejo de qualquer apaixonado por natureza que se aventura pela primeira vez na jardinagem. No entanto, alguns erros comuns provocados pela falta de experiência podem colocar em risco a beleza e a vida útil das espécies cultivadas.

Por isso, confira, a seguir, sete dos equívocos mais corriqueiros cometidos pelos iniciantes e descubra como evitá-los em seu dia a dia.

Comprar plantas por impulso - no afã de deixar o jardim bonito e charmoso, muita gente compra plantas por conta da empolgação, sem saber se elas realmente servem para o local em que serão plantadas. “Quando isso acontece, a planta fatalmente morrerá por não aguentar a exposição ao ambiente. Por isso, a dica é estudar as características de cada espécie antes de escolher as que serão cultivadas”, explica Marisa Lima, paisagista graduada em Composição Paisagística pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Mesclar plantas com necessidades muito diferentes – bastante comum, a mistura compromete pra valer a durabilidade das espécies. “Ao unirmos vegetais que não gostam de muita água com aqueles que precisam de bastante hidratação, por exemplo, prejudicamos a sua longevidade, seja porque eles estão retendo água em excesso ou em pouquíssima quantidade”, explica.

Misturar estilos de plantas – comum entre as pessoas que não conhecem a fundo os estilos das plantas, a junção de espécies completamente distintas, como as tropicais e europeias na composição do jardim, prejudica esteticamente o local, além de exigir cuidado redobrado por conta de suas necessidades de cultivo diferentes.

Plantar muda em vasos pequenos e não trocá-la depois – como toda espécie de planta precisa de espaço para crescer e se desenvolver, se qualquer uma delas ficar mantida em vasos muito pequenos para o seu tamanho, provavelmente ficará atrofiada e perderá suporte, estabilidade e beleza. Por isso, a vale a pena transplantar os vegetais para um vaso mais amplo assim que a plantinha brotar e começar a crescer.

Comprar plantas muito grandes na hora do plantio – a escolha correta dos tipos de plantas é fundamental para que o jardim tenha vida longa. “Comprar uma muda pequena sem saber quais as dimensões que ela terá quando crescer pode trazer alguns problemas no futuro, pois o vegetal tende a ficar muito grande e entrar em conflito com os menores, prejudicando até mesmo a estética do local”, ressalta a paisagista.

Encharcar as plantas de água ou matá-las de sede – feitas sempre de mais ou de menos pelos jardineiros iniciantes, as regas das plantas devem variar de acordo com as características de cada espécie e a qualidade do solo. Por isso, colocar a mão na terra para sentir sua umidade antes de regá-la e usar o regador do tipo “chuveirinho”, que distribui melhor a água sobre os vegetais, são medidas que não podem ser esquecidas. Além disso, vale a pena ficar atento à drenagem dos vasos para não “afogar” as espécies.

Fazer um estilo de jardim que não combina com a arquitetura da casa – combinar as características de cada planta na hora de formar os jardins é quase sempre sinônimo de dor de cabeça para quem é inexperiente. “O estilo da vegetação deve sempre acompanhar o estilo da arquitetura da casa para não comprometer a beleza dos dois locais. Por isso, pesquisa ou auxílio profissional não devem ser dispensados”, alerta Marisa.

Posts Relacionados