Cadastre-se

01/10
De falta de água à acidez do solo: confira os erros mais comuns no cultivo do gramado e aprenda a evitá-los

Cuidar bem do gramado, seja para dar um acabamento especial às plantas cultivadas no quintal de casa, ou jogar aquela peladinha de fim de semana, apesar de não ser nenhum “bicho de sete cabeças” para os jardineiros iniciantes, pode reservar armadilhas capazes de pôr tudo a perder.

“A falta de preparo do solo e do controle da sua acidez, assim como a falta de água e do combate às pragas, são alguns dos problemas cruciais que o deixam ruim”, alerta Alexandre Galhego, engenheiro agrônomo e paisagista da Alexandre Galhego, de Campinas, em São Paulo. Por isso, confira, a seguir, os erros mais cometidos quando o assunto é grama e saiba o que fazer para fugir de todos eles.

Falta de regularização do solo - decisivo para a produtividade de todo vegetal, o preparo do solo jamais pode ser feito pela metade e ignorar as depressões ou saliências existentes no terreno, pois prejudicam a estética do gramado no futuro. Por isso, deixe a terra adequada para o plantio com a descompactação do terreno.

Acidez do solo - uma das principais responsáveis por dificultar o crescimento da grama, a acidez excessiva do solo nem sempre é corrigida pelos jardineiros e acaba dificultando consideravelmente o desenvolvimento da planta. “Ele precisa ter sua acidez corrigida com o uso do calcário (elemento facilmente encontrado nas lojas de jardinagem) para que responda bem às adubações”, ressalta o especialista.

Pragas sem controle - um gramado denso, uniforme e saudável é o paraíso para cupins, formigas e fungos. Por isso, quando o combate e a prevenção contra elas não são efetivos, a vida útil da grama fica bem comprometida. Para evitar o pior, capriche no manejo (adubação, irrigação e poda) da cobertura verde e invista em fungicidas naturais ou sintéticos, caso o problema esteja instalado e lembre-se de procurar sempre um profissional da área para sua assistência.

Regas desmedidas - elemento essencial para o crescimento da planta, a água também pode prejudicar seu desenvolvimento se não for bem administrada. “Apesar de ser algo básico, é muito comum que o nível de irrigação fique abaixo ou acima do ideal”, adverte Alexandre. Como regra geral, o solo deve ser irrigado antes que fique completamente seco. Um bom indício de que a hora de regá-lo já passou são suas folhas, que ficam enroladas.

Nutrição irregular - ao contrário do que muita gente pensa, a grama também precisa ser estimulada com nutrientes para que não passe por períodos de fome e nem enfrente dificuldades para crescer. Por isso, a cada três meses, aplique Dona Flor Gramados e deixe seu tapete verde 100% bonito e saudável, apresentando folhas mais verdes e vistosas.

Cortes mal feitos - fundamental para a manutenção do gramado, o uso da lâmina de corte pouco afiada acaba rasgando as gramíneas em vez de apará-las. Essa prática tende a deixar as plantas mais fracas e suscetíveis a doenças. Por isso, fique de olho: se as plantas estiverem desfiadas após o corte, a lâmina usada precisa ser afiada. O ideal é o uso de máquinas com corte helicoidal.

Posts Relacionados